Aperte "Enter" para enviar a busca

Orlando com crianças: 10 passos para planejar a viagem!

Começamos nossa série: Viagem em Família com um dos passeios mais procurados: Orlando! Porém, tentando fugir do lugar comum, e ressaltando olhar de mãe e pai. Fomos com duas crianças, uma de 6 anos e outra de 4, então não dá para abusar do número de passeios por dia porque os pequenos se cansam e a família acaba não aproveitando direito. Da primeira vez que fomos a Orlando, só com Lis, a mais velha, ficamos uns 12 dias e foi bem corrido. Desta vez separamos 16 dias. Conte sempre dois dias praticamente perdidos: o da chegada e o da partida. Na chegada, com o cansaço da viagem longa, o tempo de fazer o check in no hotel, comer, tomar banho, o ideal é aproveitar para conhecer um pouco do Hotel e comprar umas coisinhas no supermercado, a exemplo do carrinho de bebê (mesmo com criança maiorzinha, é legal para diminuir o cansaço das crianças na circulação dos Parques porque são muito grandes e o estacionamento é distante), e comidinhas para deixar no frigobar do quarto (no caso de ficar fora do Complexo Disney), frutinhas para lanchinho nas filas dos brinquedos, nos Parques. E o dia de embora, a trabalheira de arrumar as malas, a bagagem de mão, fazer o check out, entregar o carro na locadora, chegar cedo para não perder o voo, despachar as bagagens, pagar os excessos… kkkkk

Levamos o roteiro dia-a-dia impresso, com endereços para facilitar na hora de colocar no GPS, número de reservas (restaurantes, hotel, locadora), horários de funcionamento, e algumas dicas e lembretes para cada local.

Vamos separar os posts em: Planejamento (que é este aqui!), Parques da Disney, Complexo Universal Studios, Grupo SeaWorld e Passeios Fora do Comum. É só clicar e conferir cada um deles.

_MG_0034
Foto: Gustavo Bettini/Corujices.com
Este é o primeiro post da nova sessão do Corujices: Viagem em Família, com dicas de Orlando(EUA). Vamos dividir os posts pra não ficar cansativo, e para poder mostrar mais fotos 🙂
Em Orlando você tem três empresas de entreternimento fortes: Disney, com quatro parques – Magic Kingdom, Animal Kingdom, Epcot e Hollywood Studios, e um Downtown também; Universal, com 02 parques – Island Of Adventure e Universal Studios, e o Downtown City Walk; E o Sea World, que também possui Aquática, Discovery Cove e Busch Gardens. É possível (com um pouquinho de tempo sobrando… kkkk) fazer muito mais na região, como por exemplo conhecer o Kennedy Space Center, a Legoland (único parque que não vou ousar escrever sobre porque não fomos. Foi uma decisão tomada lá,deixamos para o final da viagem, e acabou não dando tempo) e até mesmo experimentar a vivência em uma comunidade super charmosa como Celebration. Para ver as dicas de cada um destes complexos, clique nos links abaixo:
_MG_0885
Foto: Gustavo Bettini/Corujices.com
10 Passos para quem esta planejando a Viagem à Orlando com crianças:
1 – Checar a documentação: Passaporte (Clique aqui para verificar as orientações da Polícia Federal para emissão do documento aos menores de 18 anos), Visto Americano (Aqui). Lembrando que o passaporte de crianças tem validade mais curta do que o dos adultos.
2 – Comprar Passagem Aérea – No caso de viajar com crianças, uma dica importante é tentar fazer voos diretos. Nós, optamos por viajar a noite pra que eles fossem dormindo e não sentissem tanto o longo tempo de viagem. Fomos de American Airlines saindo de Recife às 23h. Levamos uma mochila sobrevivência para o voo, com roupas reservas para cada um (nunca se sabe… pode escapar algum xixizinho dormindo no avião, podem derramar alguma coisa, vomitar…), com opções de distração, lápis, giz de cera, livrinhos de atividades, Ipad com filminhos, e opções de lanchinhos (lembrando que não pode levar líquidos com mais de 100ml e que não pode desembarcar com comida nos EUA…deixem o que sobrar no avião rsrs)
3 – Reservar Hotel e Carro – Muita gente pergunta se é melhor ficar dentro ou fora do Complexo Disney. Já optamos pelas duas maneiras, e tem vantagens e desvantagens nos dois. Por exemplo: Ficamos no All Star Movies da primeira vez (2011) – não tinha frigobar, microondas, nem internet sem fio, tínhamos estacionamento gratuito nos parques da Disney, café da manhã no Hotel, recebe as Magicband (umas pulseiras com um chip que servem como chave do quarto, ingresso do parque, Memory maker – um pacote de fotos, Fast pass – que pode ser agendado com mais antecedência para quem tá no hotel da disney – , e a opção de entrega das compras feitas no parque do complexo serem entregues no hotel, mas não tínhamos por perto restaurantes, farmácias, shoppings. Em ambos os casos aproveitamos bem pouco a estrutura do próprio hotel, chegávamos apenas para dormir, então nem entro no mérito desta comparação. No caso do aluguel do carro, preferimos sempre um carro grande por causa das malas, e viajar com criança sempre requer mais volume. A diferença de preço não é tão grande e vale muito a pena o upgrade no tamanho.
4 – Seguro de Viagem e compra de doláres – Em tempos de cotação de dolár instável, a dica dos economistas é de fazer as compras da moeda com antecedência e aos poucos porque com a oscilação constante do dólar, desta forma você pode diminuir o risco de se dar mal. E no caso do seguro, é bom verificar se o seu cartão de crédito oferece. No nosso caso, viajamos com o do nosso cartão. Um custo a menos.
5 – Montagem do roteiro – A partir da definição dos dias disponíveis para viagem, comece a montar seu roteiro. Faça uma listinha dos lugares que você pretende ir, verifique as datas de feriados de lá para evitar parques cheios ou fechados (Clica aqui), e distribua as atividades ao longo do período de viagem. Dica: nós alternamos parques aquáticos e passeios mais tranquilos com dias de Parques grandes para as crianças não cansarem tanto, e as férias não se transformarem numa maratona kkkk Depois de saber em que dia estaríamos em cada lugar, começamos a fazer as reservas em restaurantes, e em serviços disputados como o Bibbidi Bobbidi Boutique ou The Pirate League (que fazem a transformação em princesas e piratas, respectivamente. É possível fazer a reserva com 6 meses de antecedência, e não ache que é exagero, é melhor fazer o quanto antes, principalmente para conseguir que o encanto seja feito no Castelo da Cinderela). Para conseguir os fast pass (fura filas) nos brinquedos, atrações, mais concorridos, se você estiver num hotel da Disney pode fazer com 60 dias antes, se não, com 30 dias para os visitantes comuns.
7 – Comprar ingressos para os Parques – Os pacotes sempre são muito mais vantajosos. Por exemplo, em fevereiro (quando compramos) só Sea World custava U$103, Sea World + Aquática U$143, Sea World + Aquática + Busch Gardens U$158; Só 01 dia de parque da Disney custa em média U$95, 04 dias sai por U$294, 05 dias por U$304, ou seja por U$10 você pode voltar ao parque da Disney que mais gostou, ou aquele que você não conseguiu ver algo que gostaria muito. Um detalhe importante é que pra quem quer visitar mais de um parque da Disney no mesmo dia ou que quer sair e voltar no mesmo dia(caso de quem tem criança muito pequena e quer dá um cochilinho a tarde), o ingresso deve ser o chamado Park Hopper, e especificamente no Universal Studios, aconselho comprar o ingresso Park to Park, que dá direito a ir de um parque ao outro. Essencial para quem quer pegar o Hogwarts Express, trem do filme Harry Potter que liga o Universal Studios ao Island of Adventure.
8 – Fazer o cadastro no Disney My Experience – Esta é uma dica bem recente: entrar na página da Disney e se cadastrar no aplicativo My Disney Experience . Com ele é possível montar um roteiro com as atrações que mais interessam sua família, agendar Fast Pass (é uma espécie de fura filas, gratuito,  que fica disponível para atrações mais concorridas), reservar restaurantes, saber os horários de tudo… Depois é só baixar o aplicativo no smartphone para ter tudo isso a mão, além de poder consultar o tempo de espera de todas as atrações e mapas. Vale lembrar que os parque disponibilizam rede de internet wi-fi para seus visitantes (legal para se comunicar também por whatsapp – desta vez nem precisamos dos radiocomunicadores).
9 – Planejar as malas – Com criança a gente sempre se preocupa se vai fazer frio, que roupas colocar… E Orlando é uma cidade com uma variação grande de clima durante o ano. São praticamente duas estações bem definidas: inverno, de outubro a março (temperaturas baixas, pouca chuva) e verão, de abril a setembro (temperaturas muito altas e bastante chuva). No site The Weather Channel você encontra uma previsão do clima. Então o primeiro passo para preparar a mala é saber qual o período da viagem. Mas, como manda a tradição das mães, mesmo no período de calor, sempre é bom levar um agasalho (além do tempo virar – já aconteceu da gente pegar 9 graus em novembro – muitos lugares, inclusive no avião, tem ar condicionado). Bem, se você planeja fazer compras, leve pouca coisa. Em se tratando de Orlando, esqueça de levar: salto alto e roupa social. Tênis e roupas confortáveis são imprescindíveis, e uma mochila para dar suporte ao dia todo fora do hotel, carregar câmera fotográfica, lanchinho, agasalho para o final do dia, que sempre esfria um pouco.
10 – Baixar os aplicativos principais: Quase todos os Parques tem aplicativos agora e facilitam muito nossa vida. Vou sugerir aqui os principais, e que a gente testou: My Disney Experience (Citado logo acima no passo 8); Universal Orlando Resort App (Traz além dos mapas dos parques, o tempo de fila das atrações e o localizador de estacionamento, pra você preencher onde deixou o carro (tirar uma fotinho também pode ser uma dica boa!). Dentro da Universal Studios e do Islands of Adventure, a rede wi-fi chamada “xfinitywifi” fica disponível gratuitamente, depois de um cadastro rápido); Sea World (Traz mapas, tempos de filas, horários de shows, lembrete do estacionamento do carro, e câmeras que mostram alguns animais do parque ao vivo); Busch Gardens (Além do mapa e tempo de filas, tem opção de tirar fotos e compartilhar em redes sociais, e um filtro para você montar seu roteiro dentro do parque sabendo, por exemplo, o limite de altura mínimo para cada atração. Se você tiver um filho pequeno, e colocar a altura dele, o aplicativo já mostra apenas o que ele pode entrar); Whatsapp (Usamos muito para nos comunicar dentro do Parque, substituindo os rádios); Google Tradutor (Legal para quem quer ajudinha no inglês. Você já deixa baixado o idioma que você quer, e mesmo em lugares que esteja off line, pode consultar o app)
My Disney Experience – Google Play / App Store 
Universal Orlando Resort App – Google Play / App Store
Sea World – Google Play / App Store
Busch Gardens – Google Play / App Store 
Google Tradutor – Google Play / App Store

Deixe seu comentário

(*) Todos os campos são obrigatórios

Comentários

4 Commentários